Página Preta
sexta-feira, julho 26, 2002
 

Momento Lavadeira
Fim de semana, você me liiiiga, você me chama, você conviiiida...
 
 
As vezes as coisas ficam contraditórias pra mim. As vezes eu não entendo a minha vida. As vezes acho tudo muito bom, as vezes é tudo muito ruim. As vezes as coisas me atropelam, eu vivo muita coisa ao mesmo tempo. E tenho pressa, já disse, porque sou de aquário. Nada muito zen, mas sou de aquário. E a vida é rápida pra mim. E é uma eterna montanha russa, não é “menina-sem-cerca”? E depois, o que importa? Sabe a música :
“Os escafandristas virão
Explorar sua casa
Seu quarto, suas coisas
Sua alma, desvãos
Sábios em vão
Tentarão decifrar
O eco de antigas palavras
Fragmentos de cartas, poemas
Mentiras, retratos
Vestígios de estranha civilização”
O que importa todos esses dramas, essa felicidade, esse sofrimento? As histórias que a gente deixa escritas, os filhos, as coisas que agente sabe, os livros que agente leu, tudo o que agente já sentiu por causa de outras pessoas?
 
terça-feira, julho 23, 2002
 

procuro parlavras que articulem, sons que cheguem aos seus ouvidos, passos que escutem seu paradeiro, pensamentos que te parem onde estiver, cheiros que te tragam a mim.
procuro seu vulto, desde o primeiro. Procuro, de alguma maneira, guardar a sua presença. No tempo, na ar, na memória, nos dedos.
sua presença de vulto é fluida como fumaça, desde o primeiro. Sua presença dança e flutua, desce as escadas como Scarlet O´hara vindo em minha direção.
 
 
Sonhei que ia fazer cirurgia de Lábio Leporino e por isso teria um atestado e não poderia ir trabalhar.. Depois falo que não penso em trabalho quando saio de lá. O detalhe é a nota que escrevi semana passada:

“Cirurgia gratuita corrige deformidade em crianças
As inscrições estão abertas até dia 22 para jovens carentes de 0 a 16 anos
Terminam na próxima Segunda feira, dia 22 de julho as inscrições para cirurgias gratuitas de correção de deformidade facial em crianças carentes. Em Minas Gerais, 23.500 pessoas têm o problema, sendo 5 mil delas somente na capital.
As crianças e jovens de até 16 anos que tenham a fenda no lábio superior ou no céu da boca podem se cadastrar no site do Instituto Telemig Celular (www.institutotelemigcelular.com.br) ou pelos telefones (31) 3280 4000, 3335 2560 ou 3249 1793. As pessoas com mais de 16 anos também podem se inscrever para serem encaminhadas para tratamento.
As operações das chamadas fissuras lábio-palatinas serão feitas pela ONG Operation Smile (Operação Sorriso), que atua em 20 países em desenvolvimento tratando crianças com a deformidade. Em Minas Gerais a ONG tem o apoio do Instituto Telemig Celular e do Hospital Vera Cruz, entre outras entidades.
A iniciativa da ONG, do Hospital, do Instituto Telemig Celular e da Pastoral da Criança irá operar 150 crianças mineiras, entre 26 e 30 de agosto. A lista final dos operados será divulgada no dia 24 de agosto.
Fissura Lábio-Palatina
É uma fenda no lábio ou céu da boca, causada pela má formação durante a gravidez. Provoca dificuldades na fala e na alimentação, prejudica a arcada dentária e a respiração, além do prejuízo psicológico das crianças, que costumam evitar o convívio social. A principal causa é a desnutrição.”

Lerê, lerê...
 
 
Não quer dizer nada não, tá. é só o blogchalking

Google! DayPop! This is my blogchalk: Portuguese, Brazil, Belo Horizonte, Santo Antonio, Ana H., Female, 21-25!
 
 
não reparem, não reparem...
 
sexta-feira, julho 19, 2002
 
O que vocês acham? Eu desconfio que isso está uma merda, com o perdão da palavra. Não sei, tenho que mandar alguma coisa pro Nariz. Bom, se tiver algum erro na conjugação dos verbos na Segunda pessoa me avisem. E obviamente os de ortografia também.
 
 
From: Ana Fernanda anafernanda@jedi.com.br

To: querida@bol.com.br br>
Subject: viver de amor, sem amor.
Date: Thu, 19 jul 2002 11:27:45

Meu amor,

é de mágoas que vivemos. É de cartas mal escritas em tom meloso. É de palavras, enganos e conversas encerradas antes do final. É de engasgos, de ciúmes e de tudo que isso tem de ruim e cruel. Feminino.
Minto. Engano-te Essa prosa-anã que te conto ao ouvido, um vento afiado que te sobro à garganta. E quem és Ti para eu chamar-te Ti, coisa que não se usa mais? É por ti que transformo toda minha mesquinha-prosa, mas engano-te. A mim importa o sexo, mais que tudo em ti. Mais que os sons soluçados que o pronome atravessa nesta carta. Sonhamos com a morte quando dormimos juntas, e a mim importa o gênero mais que tudo em ti. Importa que eu diga com todas as letras a vogal que te faz gênero feminino. E se te arranco os cabelos é por isso, querida. É puro gênero.
E ainda que as coisas estejam trincadas, é hoje que escrevo atrevida teu nome nos papéis. Sei que vêem. E rio do que sei que me faz cada dia mais amaraga - a natureza metálica disso tudo. A delicadeza da lâmina que avança rente aos nossos cílios. Decaio, amarga, porque era outra a delicadeza de que me fazeia. Assim como Ti, que também decais de amargor, diante de tudo falso no pronome e no resto que ele contamina. Decais de amargor quando me olhas frágil e meu olhar é a lâmina que avança rente aos teus cílios.
Sim, querida.

Ana.
 
 
É bom sair com um grande amigo, comer boa comida, conversar sobre muitas coisas, as mais divertidas, as mais fúteis, as mais sérias, as mais inúteis e ainda por cima ouvir uma ótima analogia sobre "era digital" e "conexões a cabo". Beijos!
 
 
I'm So Tired
John Lennon


I'm so tired, I haven't slept a wink
I'm so tired, my mind is on the blink
I wonder should I get up and fix myself a drink
No,no,no.

I'm so tired I don't know what to do
I'm so tired my mind is set on you
I wonder should I call you but I know what you'd do

You'd say I'm putting you on
But it's no joke, it's doing me harm
You know I can't sleep, I can't stop my brain
You know it's three weeks, I'm going insane
You know I'd give you everything I've got
for a little peace of mind

I'm so tired, I'm feeling so upset
Although I'm so tired I'll have another cigarette
And curse Sir Walter Raleigh
He was such a stupid get.
 
 
Post roubado das motherns, que, aliás, são ótimas!

É difícil, sim. Cansa, sim. Dá trabalho, sim. Mas existem centenas de motivos para, ainda assim, valer a pena ser mothern. Aí vão alguns deles:
. para ser a pessoa mais importante na vida de uma criança;
. para ver seu corpo mudar de forma e gerar outra pessoa;
. para ficar horas na seção infantil da C&A;
. para ficar horas e horas na seção infantil da Zara;
. para deixar de ser criança;
. para descobrir que a sua capacidade de amar é muito maior do que você imagina;
. para entender melhor a sua mãe;
. para ouvir alguém te chamar de mãe;
. para ver de perto uma criança crescendo;
. para ficar mais generosa;
. para ter um motivo pra escorregar no toboágua;
. para o seu casamento passar por uma prova de fogo;
. para mudar de prioridades;
. para comprar o enxoval;
. para escolher o nome;
. para ver alguém bem parecido com você;
. para descobrir seus dotes de cantora, atriz e fotógrafa;
. para alterar completamente seu relógio biológico;
. para não passar o domingo vendo televisão;
. para pagar menos no seguro do carro;
. para parar de se preocupar com a arrumação da casa;
. para ver seu peito dar leite;
. para viver a experiência de quem pôs silicone, sem passar pelo bisturi;
. para encher a casa;
. para parar de encher a cara;
. para catar piolho;
. para ir ao zoológico;
. para aprender o que é molusco e exantema súbito;
. para entender de futebol;
. para voltar a brincar de boneca;
. para se interessar por pedagogia;
. para fazer novos amigos;
. para entender melhor este blog;
. para conhecer a pessoa mais linda que você já viu no mundo;
. para aumentar o número de pessoas fofas no mundo.
(Ju e Laura.)
 
quinta-feira, julho 18, 2002
 
Post-blues pra acabar com o ar fútil desse blog
Sei como é quando as coisas estão tristes como Radiohead. As minhas não estão assim não. Mas tem uma hora na vida (suponho que essa hora exista) em que você para de fazer coisas por impulso e começa a pensar. E aí você vê um monte de merda que já fez. Essa é a minha tristeza. Fazer balanço da minha vida nem sempre é agradável. Porque o balanço pode ser de superávit gigantesco e de déficit também. Dependendo de como eu olho a minha vida, as coisas são lindas ou são muito tristes. E hoje eu já nem sei o que pensar da minha vida. Nem de quem eu sou hoje. A verdade é que eu sou inconseqüente comigo. E isso é lindo e horrível ao mesmo tempo.
 
segunda-feira, julho 15, 2002
 
Ana H. Na Noite
Notas de uma colunista bêbada para acabar com o clima literatário desse blog pretencioso
Pois é, teve o casamento. Que na verdade eu nem vi que teve. Mas foi ótimo mesmo assim. Fora a parte em que o Eduardo Azeredo ficou sabendo que eu sou lésbica.
...

É, eu não sei mesmo ser discreta. E quando tento duas ou três doses de quentão já frustram a tentativa.
....

Dia seguinte fiquei pensando que a D. Paula tava bêbada. Teve até aquele papo "Eu amo vocês." E teve também o roubo dos arranjos. Saímos às gargalhadas. As gargalhadas foram mais patéticas do que o roubo do arranjo. E olha que o arranjo tinha uma abóbora moranga inteirinha! Brincadeira, a abóbora agente deixou. Ainda bem, porque D. Paula sóbria é a patrulha mais chata que uma amiga bêbada pode ter. (brincadeirinha de novo...)]
...
Mas a festa tava linda, a noiva tava linda e é uma pessoa que eu admiro. Isso ficou frio mas é isso mesmo. Porque não a conheço bem. Só sei que é boa pessoa e que é inteligente e competente. Coisa rara.

...

Teve fogueira, a minha rou par ficou fedendo a cinza e quentão. (desvantagens de D. Paula bêbada) E eu acabei dançando de rostim colado com GH. Na frente do Eduardo Azeredo... Ai, ai... Quentão...

....

Teve Agorofobia também. Coisas de Vera Vermelha.

....

A ressaca veio anunciada pelo despertador na manhã seguinte. Especialmente encomendado pelos quentões.

 
quinta-feira, julho 11, 2002
 
Mais uma do cadernim verde-neon


Minha luta é grande, ou talvez eu seja apenas fraca. O fato é que estou cansada. E de fechar o livro e olhar o teto, sinto a minha exaustão, mas não durmo. E quem dorme? Eu, que sou romântica, descobri que o mundo é cão sem plumas. Estou com caspa, urticária, tomo remédios pra dormir. Sonho com a morte e tenho pontadas nas costas. Faço contas pra ver se o dinheiro me resolve a vida. Fechei agora um livro, porque não suportei ouvi-lo falar de mim com tamanha propriedade. E essas coisas de livro se diz devagar. Uma página de cada vez, como medida em conta-gotas. Antes de dormir, antes do remédio. Antes de olhar o teto, fecho o livro.
Depois sonho com a morte: um lugar. Escuro, é claro. De terra árida, batida, vermelha. Luz em tom de lâmpada fluorescente. Plano, não fazia calor nem frio. Um grande portão marrom-telha. Uma mulher inexpressiva e estranha guardando a saída. A porta entreaberta.
 
 
Vou sair do ninho de cobras. Até consegui ler ontem! Finalmente, Água Viva. Me dá vontade de anotar metade das frases no cadernim verde neon.
 
 
Meus dias são um só clímax: vivo à beira.” (Clarice Lispector, Água Viva)

 
terça-feira, julho 09, 2002
 


Um


E outro
 
segunda-feira, julho 08, 2002
 
E deu pra ver que o jeito dela falar é igualzinho ao do Chico. E o jeito dele falar é bem peculiar. Há uns dias atrás eu passei o dia inteiro ouvindo aquele Fábrica do Poema e a GH também, por coincidência. Aí chegamos à mesma conclusão nesse dia, que a Adriana Calcanhotto é o Chico Buarque das lésbicas.
 
 
Foi lindo-lindo. E alguém sabe me dizer porquê os cantores e músicos sempre falam "canções" em vez de "músicas"?
 
 
Alguém viu a Adriana Calcanhotto na Cultura ontem? Alguém viu ela falando do Chico assim:
- Ah, o Chico é um assunto muito sério. Eu tenho inveja dele, na verdade. O Chico tem umas canções que.... me dizem respeito!

 
 
Não tenho tido muitas coisas boas pra dizer. Por isso tava caladinha. Hoje as baterias estão novas, estou protegida contra o ninho de cobras, cada vez mais venenoso.
 
quarta-feira, julho 03, 2002
 
Eu dava t-u-d-o pra tomar uma cerveja com verdadeiros amigos agora. Desde que não fosse uma Bavária. Nossa, estou sentindo falta de conversa relaxada, de não ter que agradar, de saber que aquelas pessoas te conhecem e gostam de você. Que não vão te enganar, puxar seu tapete, foder você, mentir pra você, ser cínicos com você.
 
 
Hoje dei um fora no trabalho. Não é uma tempestade. Mas entrei no banheiro e chorei, só porque estou na TPM.
 
terça-feira, julho 02, 2002
 
O bichinho pousou no meu dedo, quando meu dedo pousou no teclado, que será que ele pensou?
 
 

"A telephone that rings
and who´s to answer?"
 
 
Hoje é dia! Finalmente!
 
segunda-feira, julho 01, 2002
 
Ontem fiquei de porre por causa de uma cerveja long neck e uma dose de vodka. E hoje fiquei de ressaca. Não um porre-porre. Nem uma ressaca-ressaca. Mas acho que estou perdendo o jeito. Melhor, né?
 
 
Ah, que bom que o Elfo veio fazer essa mágica. Se bem que não era mau falar sozinha (brincadeirinha...).
 
 
Estou com um problema de timing. Incompatibilidade de agendas. Tudo errado cronologicamente. Tudim.
 
 
Só uma passadinha.
 
A esse ponto tudo parece antigo. Eu mesma pareço tão distante. Eu mesma estranho meu perfume, minhas calças, meus pés. Eu mesma desmancho os navios e naufrago refazendo frases.

ARCHIVES
09/01/2001 - 10/01/2001 / 10/01/2001 - 11/01/2001 / 11/01/2001 - 12/01/2001 / 12/01/2001 - 01/01/2002 / 01/01/2002 - 02/01/2002 / 02/01/2002 - 03/01/2002 / 03/01/2002 - 04/01/2002 / 04/01/2002 - 05/01/2002 / 05/01/2002 - 06/01/2002 / 06/01/2002 - 07/01/2002 / 07/01/2002 - 08/01/2002 / 08/01/2002 - 09/01/2002 / 09/01/2002 - 10/01/2002 / 10/01/2002 - 11/01/2002 / 11/01/2002 - 12/01/2002 / 12/01/2002 - 01/01/2003 / 01/01/2003 - 02/01/2003 / 02/01/2003 - 03/01/2003 / 03/01/2003 - 04/01/2003 / 04/01/2003 - 05/01/2003 / 05/01/2003 - 06/01/2003 / 06/01/2003 - 07/01/2003 / 07/01/2003 - 08/01/2003 / 08/01/2003 - 09/01/2003 / 09/01/2003 - 10/01/2003 / 10/01/2003 - 11/01/2003 / 11/01/2003 - 12/01/2003 / 01/01/2004 - 02/01/2004 / 02/01/2004 - 03/01/2004 / 03/01/2004 - 04/01/2004 / 04/01/2004 - 05/01/2004 / 05/01/2004 - 06/01/2004 / 06/01/2004 - 07/01/2004 / 07/01/2004 - 08/01/2004 / 08/01/2004 - 09/01/2004 / 09/01/2004 - 10/01/2004 / 10/01/2004 - 11/01/2004 / 11/01/2004 - 12/01/2004 / 12/01/2004 - 01/01/2005 / 01/01/2005 - 02/01/2005 / 03/01/2005 - 04/01/2005 / 04/01/2005 - 05/01/2005 / 05/01/2005 - 06/01/2005 / 06/01/2005 - 07/01/2005 / 07/01/2005 - 08/01/2005 / 08/01/2005 - 09/01/2005 / 11/01/2005 - 12/01/2005 / 01/01/2006 - 02/01/2006 / 02/01/2006 - 03/01/2006 / 03/01/2006 - 04/01/2006 / 04/01/2006 - 05/01/2006 / 05/01/2006 - 06/01/2006 / 08/01/2006 - 09/01/2006 / 09/01/2006 - 10/01/2006 / 10/01/2006 - 11/01/2006 /


Powered by Blogger