Página Preta
sexta-feira, novembro 23, 2001
 


 
 
Não tenho insônia. Na verdade, meu problema é que durmo de mais. Às vezes 12 horas numa noite. Dizem que serve. Que dormir demais também é sintoma de depressão. Você não quer acordar. Não quer viver. Então dorme.
Acordo com os ombros altos e duros de tensão. Não consigo movê-los até a hora do banho. Mas perco as coisas desse jeito. E faço coisas mal feitas por pura sonolência. Tem épocas em que fico sonolenta durante meses.
Essa noite fui dormir às cinco da manhã. Morta de sono, desde às duas. Cheguei em casa e jantei enquanto o sol nascia. Pensei no meu pai. E se então ele sabe de tudo? "Então é melhor", você disse. Porque significa que no fim ele encarou bem. Foi generoso. Decidiu me polpar do que poderia me fazer. Ficou calado por amor a mim. Isso me comove. Tanto que a comoção vira tristeza mesmo. E quando sinto isso por causa dele, só quero chorar e chorar. É estranho. Não consigo nem definir o que acontece.
Hoje fiquei assim de novo. Porque vinha andando, carregando um calhamaço de muito trabalho, esgotada. Começou a chover. Enrolei o papel num saco de lixo e na minha blusa de frio e andei devagar. Muita água, o cabelo escorrendo. Se eu corresse poderia cair. Estava trêmula e tensa. Quando chegou não tinha dado certo. Esperei, empurrei, falei, repeti. Tinha que tentar de novo. Mais duas horas de espera. Mas não podia esperar. Fui pedir por favor, porque não dava certo. No caminho a enxurrada, o tênis desamarrado, o pacote embrulhado, pessoas de sombrinha que não davam licença. E esperei, esperei, de olhos fechados com força, pra ninguém me arrancar dali.
 
quinta-feira, novembro 22, 2001
 
"Bebendo Chivas e ouvindo Portshead"... Hahahaha... Não queria estar na sua pele, Mui Gats!

Aliás, tava com saudade de você! Tinha tempo que não lia seu blog!
 
 
Eu tava no carro, com meu pai. Disse que não ia dar pra comer a lagosta em comemoração ao aniversário dele hoje à noite. Vou ter que ir à casa da minha amiga pra ela me ajudar com as normas da ABNT. Ele perguntou se era aquela amiga da Aimorés. Eu disse que não, que era a Paula. Ele disse, "Ela chama Letícia, né? Aquela Alta...". Eu disse que é, mas a de hoje é a Paula. Ele disparou, "Ela é gay, né?". Eu caí, "Ela?! Acho que não. Não sei.". Ele, me mostrando o quanto fui ridícula, "Então não deve ser, se você convive tanto com ela e não sabe é porque não deve ser." E eu, "É, não é não."

"Tá lá o corpo estendido no chão..."


 
quarta-feira, novembro 21, 2001
 
Lindo filme, o da viúva. Do começo, quer dizer, do título, já dá pra ver que o final é triste. Aí fui me envolvendo e no meio já estava maquinando possibilidades pro final ser feliz. Mas eu pensava, não, o final não vai ser feliz. ia ser muito forçado e esse filme não é forçado. mas podia ser, né. Um péssimo filme com final feliz... Chorei, chorei, chorei.
 
 
Olá, se ainda tem alguém por aqui. Ontem tive um piripaque. Mas a novela acaba sexta. Quatro cópias, de acordo com as normas da ABNT, protocoladas na secretaria. Sou quase jornalista. ahahahahahahaha.... Fiquei com pena de mim. Tenho inveja dos que são jornalistas de verdade. Que pobreza! To acabada de cansaço e tá me irritando profundamente essa Mary Poppins sorridente aí em baixo.
 
quarta-feira, novembro 14, 2001
 

O pequeno écran
para o João Bénard da Costa

Apago a televisão
quando aparece
a bruxa de Oz
e só a acendo
quando calculo
que a bruxa
já se foi embora
não suporto filmes
com animais
como os da Lassie
porque sofro muito
com a sorte dos animais
mas gosto muito
do Skippy, o canguru
e do Daktari
quero ir a África
gosto muito da Mary Poppins
que vi no Império
salvo erro
se saltar
para dentro da televisão
quando aparece Paris
no telejornal
salto
para dentro
de Paris
adoro o Casei com uma feiticeira
quero ser feiticeira


 
 

ADÍLIA LOPES




Meteorológica
para o José Bernardino

Deus não me deu
um namorado
deu-me
o martírio branco
de não o ter

Vi namorados
possíveis
foram bois
foram porcos
e eu palácios
e pérolas

Não me queres
nunca me quiseste
(porquê, meu Deus?)

A vida
é livro
e o livro
não é livre

Choro
chove
mas isto é
Verlaine

Ou:
um dia
tão bonito
e eu
não fornico



A solidão
de Adão
antes da criação
de Eva
devia ser
terrível
mas a minha
é bem pior
os homens
que escreveram
o Génesis
não pensaram
que Adão
em vez de saudar
Eva
com um grito de júbilo
a mandasse embora
com sete pedras na mão
mas eu acho
que foi
o que me aconteceu
temendo isso
Deus
não me deu
o papel de Eva
nem o de Maria
porque também
S. José
me tinha corrido
a pontapé



 
 
From: Ana Fernanda ananda@jedi.com
To: Menina Disfarçada disfarçada@hotmail.com
Subject: Anúncio


Venham todos que a praça é publica! Sim, venham todos! Quem tiver sono tranqüilo pode vir. Disfarce, venha assim mesmo! A praça é pública, a grama é fresca e crianças podem fazer xixi. Tem água boa e boas árvores, a boa gente pode vir! Disfarce, venha assim mesmo! A praça é pública! A praça é pública, a praça é de todos! Ser de todos é pra quem pode. De flores, de meninos e de meninas. De formigas. De andar em círculos, matar a sede. De esquecer de enfeitar. De giros de pés pequeninos. De vestido e bicicleta. De pés de bebês provando a grama. Fazendo careta. Olhando passarinho. Disfarce, venha assim mesmo! A praça é pública! De bichos e donos, de ver, cheirar, sentir, escutar, sorrir, Ter sentidos. A praça é de namorar, namorar é pra quem pode. A praça é pública, é de todos! De sentir coisa bonita. Muita coisa linda! Disfarce, venha assim mesmo!
 
 
Pois é. Estou mais ou menos de volta. Entreguei mais ou menos a monografia. Mais pra menos. Lorena quer que eu vá na casa dela acabar de fazer. Igual mãe....
 
domingo, novembro 11, 2001
 
Kick, tentei deixar essa notinha de apoio no seu blog mas o reblogger não tá rolando. E tem uma mensagem minha num post que tá falando que tem 0 coments.

Crise, crise, crise....
isso é o que uma monografia pode fazer com você. ela te mata de estudar e depois que você para fica se sentindo inútil e culpado por ficar à toa... Foda... Bom, você tem meu telefone, icq, email, blog, etc, etc, etc. estamos aí, moça! Ah! E depois que eu entregar a minha agente afoga as mágoas em álcool destilado do bom!
 
terça-feira, novembro 06, 2001
 
Pra dizer que estou viva. Na verdade volto direito quando alguém atirar primeiro. Quem vai morrer, eu ou a monografia?
 
 
Encontro de Assombrar na Catedral


Frente a frente, derramando enfim todas as
palavras, dizemos, com os olhos, do silêncio que
não é mudez.
E não toma medo desta alta compadecida
passional, desta crueldade intensa que te
toma as duas mãos.


Ana Cristina Cesar



O primeiro dia foi exatamente assim. Hoje fazem seis meses. Não do primeiro dia, esse faz quase um ano. Do dia que marcamos. Esse, sim, tem seis meses.
 
sexta-feira, novembro 02, 2001
 

Somos
sós e nós
Quando estiver
Estou.
Quando não for
Fica.

Sós
Nós cegos.
Onde estiver
Fica.
Onde não for
Estou.
 
A esse ponto tudo parece antigo. Eu mesma pareço tão distante. Eu mesma estranho meu perfume, minhas calças, meus pés. Eu mesma desmancho os navios e naufrago refazendo frases.

ARCHIVES
09/01/2001 - 10/01/2001 / 10/01/2001 - 11/01/2001 / 11/01/2001 - 12/01/2001 / 12/01/2001 - 01/01/2002 / 01/01/2002 - 02/01/2002 / 02/01/2002 - 03/01/2002 / 03/01/2002 - 04/01/2002 / 04/01/2002 - 05/01/2002 / 05/01/2002 - 06/01/2002 / 06/01/2002 - 07/01/2002 / 07/01/2002 - 08/01/2002 / 08/01/2002 - 09/01/2002 / 09/01/2002 - 10/01/2002 / 10/01/2002 - 11/01/2002 / 11/01/2002 - 12/01/2002 / 12/01/2002 - 01/01/2003 / 01/01/2003 - 02/01/2003 / 02/01/2003 - 03/01/2003 / 03/01/2003 - 04/01/2003 / 04/01/2003 - 05/01/2003 / 05/01/2003 - 06/01/2003 / 06/01/2003 - 07/01/2003 / 07/01/2003 - 08/01/2003 / 08/01/2003 - 09/01/2003 / 09/01/2003 - 10/01/2003 / 10/01/2003 - 11/01/2003 / 11/01/2003 - 12/01/2003 / 01/01/2004 - 02/01/2004 / 02/01/2004 - 03/01/2004 / 03/01/2004 - 04/01/2004 / 04/01/2004 - 05/01/2004 / 05/01/2004 - 06/01/2004 / 06/01/2004 - 07/01/2004 / 07/01/2004 - 08/01/2004 / 08/01/2004 - 09/01/2004 / 09/01/2004 - 10/01/2004 / 10/01/2004 - 11/01/2004 / 11/01/2004 - 12/01/2004 / 12/01/2004 - 01/01/2005 / 01/01/2005 - 02/01/2005 / 03/01/2005 - 04/01/2005 / 04/01/2005 - 05/01/2005 / 05/01/2005 - 06/01/2005 / 06/01/2005 - 07/01/2005 / 07/01/2005 - 08/01/2005 / 08/01/2005 - 09/01/2005 / 11/01/2005 - 12/01/2005 / 01/01/2006 - 02/01/2006 / 02/01/2006 - 03/01/2006 / 03/01/2006 - 04/01/2006 / 04/01/2006 - 05/01/2006 / 05/01/2006 - 06/01/2006 / 08/01/2006 - 09/01/2006 / 09/01/2006 - 10/01/2006 / 10/01/2006 - 11/01/2006 /


Powered by Blogger