Página Preta
sábado, junho 29, 2002
 
Coloquei um sistema de comentários na página. Hope you like it! ;)
By CyberElfo

 
sexta-feira, junho 28, 2002
 
Essa é pra alegrar minha GH:

These Foolish Things (Remind Me Of You)

A cigarette that bears a lipstick's traces
An airline ticket to romantic places
And still my heart has wings
These foolish things remind me of you

A tinkling piano in the next apartment
Those stumblin' words that told you what my heart meant
A fairground's faded swings
These foolish things remind me of you

You came, you saw, you conquered me
When you did that to me
I knew somehow that this had to be

The winds of March that make my heart a dancer
A telephone that rings but who's to answer?
Oh, how the ghost of you clings
These foolish things remind me of you



How strange, how sweet, to find you still
These things are dear to me
They seem to bring you near to me

The sigh of midnight trains in empty stations
Silk stockings thrown aside, dance invitations
Oh, how the ghost of you clings
These foolish things remind me of you

 
 
Estou num ninho de cobras.
 
quinta-feira, junho 27, 2002
 

Movie Stars

Estou vivo e dez estrelas me fazem chorar.
Estou vivo, como não chorar por dez estrelas?
Como não ser simplória, simpática, singela, margarida e marte se fingindo de estrela? Estou viva.
Ouvi alguém dizer que pensou na morte.
Na verdade alguém gritava que estava vivo.
Quando eu morri, havia dez estrelas brincando de roda no céu.
E a lua brincava de mãe, aproveitando a distância pra dizer que era maior.
Não é não, porque a lua chega rápido.
Só se for lua desenhada na parede. Ou projetada em tela de cinema.
A lua tem sorriso de boa mãe. No cinema, as estrelas são pequenas.
Nine out of ten movie stars make me cry.
 
 
Era uma vez um gato. Ele tinha um segredo que nem mesmo ele sabia. Engraçado ele mesmo não saber do seu segredo...
 
 
Alguém sabe o que é sair do chuveiro e perceber que a sua toalha foi usada por outra pessoa?
 
terça-feira, junho 25, 2002
 
Pra um surfista estúpido: (é, ele me incomoda tanto assim)

RESPECT

What you want (hooo) baby I got it
What you need (hooo) you know I got it
(Hooo) all I'm asking (hooo) is for a little respect
( Just a little bit) when you come home
(Just a little bit) hey baby ( Just little bit)
When you come home ( Just a Little Bit) Mister

I ain't gonna do you wrong while you're gone
I ain't gonna do you wrong 'cause I don't wanna
All I'm asking is for a little respect when you come home
(Just a Little Bit) Baby ( Just a little bit )
When you come home ( Just a little Bit) Yeah

I'm about to give you all my money
And all I'm asking in return honey
Is to give me my profits when you get home
(Justa Justa Justa) Yeah baby when you get home

( Just a little Bit ) Yeah ( Just a little bit )

Hooo your kisses sweeter than honey and guess what so is my money
All I want you to do for me is give it to me whn you get home
( Re re re re spect) Yeah baby whip it to me
( Just a little bit) when you get home now ( Just a little bit)

R-E-S-P-E-C-T find out what it means to me
R-E-S-P-E-C-T take out the TCP ohhhh (Sock it to me,etc.)

A little respect oh yeah ( Just a little bit)
A little respect ( Just a little Bit)


 
 

Obrigada, GH.


Poema
A Pepa



É verdade que
que não tenho dinheiro
e evidente que a maioria das
moedas é de chocolate;
mas se você pega esta folha,
dobra de comprido
em dois retângulos,
depois em quatro,
faz então um vinco
em diagonal nas quatro
abas e separa
em duas partes,
obtém
um pássaro que moverá
as asas


(Joan Brossa)


 
segunda-feira, junho 24, 2002
 
2+3+4= muito
1+1= pouco
privacidade vale 3
sossego vale 3
tranquilidade vale 2
segurança vale 7
tempo vale 5
 
 
Eu sou fanática mesmo.
 
 
Alguns poemas viscerais; não achei o do Joan Brossa. Lembrei de um, claro, da ACC.

Psicografia

Tambem eu saio à revelia
e procuro uma síntese nas demoras
cato obsessões com fria têmpera e digo
do coração: não soube e digo
da palavra: não digo (não posso ainda acreditar
na vida) e demito o verso como quem acena
e vivo como quem despede a raiva de ter visto
(ACC)


Flores Do Mais

Devagar escreva
uma primeira letra
escreva
nas imediações construídas
pelos furacões;
devagar meça
a primeira pássara
bisonha que
riscar
o pano de boca
aberto
sobre os vendavais;
devagar imponha
o pulso
que melhor
souber sangrar
sobre a faca
das marés;
devagar imprima
o primeiro olhar
sobre o galope molhado
dos animais; devagar
peça mais
e mais e
mais
(ACC)

Anônimo

Sou linda; quando no cinema você roça
o ombro em mim aquece, escorre, já não sei mais
quem desejo, que me assa viva, comendo
coalhada ou atenta ao buço deles, que ternura
inspira aquele gordo aqui, aquele outro ali, no
cinema é escuro e a tela não importa, só o lado,
o quente lateral, o mínimo pavio. A portadora
deste sabe onde me encontro até de olhos
fechados; falo pouco; encontre; esquina de
Concentração com Difusão, lado esquerdo de
quem vem, jornal na mão, discreta.
(ACC)


Uma Coca-Cola com Você

é ainda melhor que uma viagem a San Sebastian, Irún, Hendaye, Biarritz, Bayonne
ou que ficar enjoado na Travesera de Gracia em Barcelona
em parte porque nessa camisa laranja você parece um São Sebastião melhor e mais feliz
em parte porque eu gosto tanto de você, em parte porque você gosta tanto de iogurte
em parte por causa das tulipas laranja fluorescente contra a casca branca das árvores
em parte pelo segredo que nos vem ao sorriso perto de gente e de estatuária
é difícil quando estou com você acreditar que existe alguma coisa tão parada
tão solene tão desagradável e definitiva como estatuária quando bem na frente delas
na luz quente de Nova York às quatro da tarde nós estamos indo e vindo
de um lado para o outro como a árvore respirando pelos olhos de seus nós
e a exposição de retratos parece não ter nenhum rosto, só tinta
de repente você se surpreende que alguém se tenha dado ao trabalho de pintá-los
olho
para você e prefiro de longe olhar para você do que para todos os retratos do mundo
exceto talvez às vezes o Cavaleiro Polonês que de qualquer maneira está no Frick
aonde graças a Deus você nunca foi de modo que eu posso ir junto com você a primeira vez
e isso de você se mover tão bonito mais ou menos dá conta do Futurismo
assim como em casa nunca penso no Nu Descendo a Escada ou
num ensaio em algum desenho de Leonardo ou Michelangelo que costumava me deslumbrar
e o que adianta aos Impressionistas tanta pesquisa
quando eles nunca encontraram a pessoa certa para ficar perto de [uma árvore quando o sol baixava
ou por sinal Marino Marini que não escolheu o cavaleiro tão bem
quanto o cavalo
acho que eles todos deixaram de ter uma experiência maravilhosa
que eu não vou desperdiçar por isso estou te contando
(Frank O´hara)


Encontro de assombrar na catedral

Frente a frente, derramando enfim todas as
palavras, dizemos, com os olhos, do silêncio que
não é mudez.
E não toma medo desta alta compadecida
passional, desta crueldade intensa de santa que te
toma as duas mãos.
(ACC)

Atrás dos olhos das meninas sérias
Mas poderei dizer-vos que elas ousam? Ou vão, por injunções muito mais sérias, lustrar pecados que jamias repousam?
(ACC)




Água

Bate o mar
a colcha incerta vai revirar um grito -
ali alguém perdeu os sapatos
o último bonde, a grande tacada.
Eu olho mimada
a sombra que o mar aguarda e mata.
Não tento conversa, não fotografo
não disparo nem um passo.
Apenas desfaço os cabelos
no sal frio.
A colcha incerta vai revirar um grito -
entre mim e a água brava
corre um farol vazio.
(Vivien Kogut)
 
sexta-feira, junho 21, 2002
 
Que bom ter uma personal-revisora de pecados horríveis de ortografia e literatura... Agora acho que tá certo.
 
quinta-feira, junho 20, 2002
 
Agora não dá tempo de postar as poesias. Algumas estão na GH, outras aqui, outras em lugar nenhum. Quando der tempo eu coloco. Aceito sugestões para a minha lista.
 
 
Qual o poema visceral?
Lista de poemas viscerais. Escolha um para você:
( )Anônimo, Ana Cristina Cesar
( )Encontro de assombrar na catedral , Ana Cristina Cesar
( )Flores do mais, Ana Cristina Cesar – a mulher-visceral
( ) Uma coca-cola com você, não me lembro de quem (Frank O'hara)
( ) Aquela do Joan Brossa que fala da dobra do papel que tem no blog da GH, Joan Brossa.
( ) Outro
( ) Odeio poesia, odeio vísceras.
 
quarta-feira, junho 19, 2002
 

Mesmo pensando na morte, vários dias se passaram sem que eu morresse.
Mesmo pensando na morte, vários dias se passaram em que eu morri.
E, afinal, aqui estou eu, pensando na morte impunemente.
E, afinal, onde eu estou é vida?
Aqui estou eu, viva, ou seja, pronta pra para morrer por mais alguns dias.
Mesmo estando viva, vários dias se passaram sem que eu morresse.
Mesmo estando, quem sabe, viva (etc, etc, etc...)
 
terça-feira, junho 18, 2002
 
E que lindo que tá o blog dela!
Fiquei tão, mas tão, mas tão boba... E tão feliz!
Estou muito boba e muito feliz.
 
 
Pois é :o). Pois é...
A paz e a alegria voltaram a reinar no reino deste blog.
Notaram os blogs abandonados no fim de semana?
Notaram a falta no ICQ?
Notaram que ninguém ligou deprimida, pedindo pra sair de casa?
Diz a Pola que tava na cara.
 
 


15/6/2002 ---> O DIA
 
sexta-feira, junho 14, 2002
 



Ternura, de Vicky Svigilsky
 
 
Roubado do Cyberelfo:


Poema/Colagem/Remix 2002 :
Senoidal (Daft Punk Remix)

Ascende Descende Ascende Descende
Ascende Descende Ascende Descende
Pulsa Pulsa Pulsa Pulsa
Pulsa Pulsa Pulsa Pulsa


Ascende Descende Ascende Descende
[Inspira]
Ascende Descende Ascende Descende
[Respira]
Pulsa Pulsa Pulsa Pulsa
[Inspira]
Pulsa Pulsa Pulsa Pulsa
[Respira]


Do You Love Me
Pulsa Pulsa Pulsa Pulsa
Do You Love Me
Pulsa Pulsa Pulsa Pulsa
Do You Love Me
Pulsa Pulsa Pulsa Pulsa
Do You Love Me
Pulsa Pulsa Pulsa Pulsa


Ascende Descende Ascende Descende
Pulsa Pulsa Pulsa Pulsa
Ascende Descende Ascende Descende
Pulsa Pulsa Pulsa Pulsa


Inspira Respira Inspira Respira
Pulsa Pulsa Pulsa Pulsa
Inspira Respira Inspira Respira
Pulsa Pulsa Pulsa Pulsa


Ascende Descende Ascende Descende
Pulsa Pulsa Pulsa [Vibra]
Inspira Respira Inspira Respira
Pulsa Pulsa Pulsa [Vibra]


Love Me
Pulsa Pulsa Pulsa [Distorce]
Love Me
Pulsa Pulsa Pulsa [Distorce]
Love Me
Caindo Caindo Caindo Caindo
Love Me
Caindo Caindo Caindo Caindo


Morto.

 
quinta-feira, junho 13, 2002
 
Falar sozinha é falar em silêncio? Ou é fazer barulho pra si mesmo? Eu estou silenciosa vendo meus pedaços voarem. Como esse Dente de Leão.
 
terça-feira, junho 11, 2002
 
 
 
Em silêncio. Vou falar com as palavras dos outros. Sou verborrágica.
 
 
Os dentes ao sol
A memória engolindo
O resplendor angélico
De um lívido jacinto

Os dentes ao sol
E o escuro momento
Do girassol no muro
Enlouquecendo.

Os dentes ao sol
Dentro de mim
A sombra dos teus dedos
Tua brusca despedida

Do tempo
As enormes mandíbulas
Roendo nossas vidas.

Hilda Hilst
 
segunda-feira, junho 10, 2002
 
Eu quero falar sozinha.
 
 

Mega-ampulheta

desde os tempos imemoriais
fixei residência nesta sala de mixagem
cercado de Lexicon,
Syntaxis,
Spatial Expander,
Omnix,
Scenaria,
Axion,
Flying Faders
compressores,
condesadores.
e aqui restarei estarrecido
por toda eternulidade.
"pode a sorte separar-nos,
ou a morte de um e de outro;
mas o amor subsiste, longe ou perto,
na morte ou na vida."
sobreviver ao recorte de Machado de Assis.
epitalâmio. epífita. epitáfio.
como se o tempo sucumbisse,
fora do escopo da máquina,
e pairasse, apenas, em algumas ilhas espassas
da anacrônica memória pessoal.

Waly Salomão
 
 
Eu já postei essa música mas hoje, depois de ouvir de novo setecentas vezes, não teve jeito.
No mais, é isso que tá escrito aí.
 
 
AS COISAS TÃO MAIS LINDAS
Entre as coisas mais lindas que eu conheci
Só reconheci suas cores belas quando eu te vi
Entre as coisas bem – vindas que já recebi
Eu reconheci minhas cores nela, então eu me vi

Está em cima com o céu e o luar
Hora dos dias, semanas, meses, anos, décadas
E séculos, milênios que vão passar
Água- marinha põe estrelas no mar
Praias, baías, braços, cabos, mares, golfos
E penínsulas e oceanos que não vão secar

E as coisas lindas são mais lindas
Quando você está
Hoje você está
Onde você está
As coisas são mais lindas
Por que você está
Onde você está
Hoje você está
Nas coisas tão mais lindas
 
domingo, junho 09, 2002
 
Eu estrago tudo. Eu fodi a coisa mais linda da minha vida. Eu sou uma merda. Eu amo aquela menina
 
 
.

Ontem:

Cansaço. Corpo cansado.
Que descanso é esse que que a sua boca me dá, que eu tenho da sua boca, que a sua boca me arranca, hoje, sempre, ontem, no carro, no quarto, no sinal, à sombra, na beira da pia, no econdido, no trânsito e meus pés ficam leves.
Vou dormir pensando no beijo.
 
sexta-feira, junho 07, 2002
 
Vou propor pra Clarah uma nova ONG “Nós não gostamos da Jovem Escritora Fernanda Young, algum problema?”
Mas no meu caso não tem a ver com a temática. Porque eu também não me identifico com os escritos auto-biográficos da Clarah. O que eu acho que gosto nela (a Clarah) é a linguagem. Porque a linguagem revela a forma de pensar dela. E essa forma de pensar eu acho que tem a ver com a minha. Quando eu conseguir escrever do jeito que eu penso vou escrever como a Clarah.
Agora, tem umas que estão acima, inclusive no jeito de pensar. Tipo Clarice e Ana Cristina César. Absurdo. Eu leio e fico pensando como alguém conseguiu pensar aquelas coisas. A Fernanda Young está abaixo. O jeito de pensar dela é chato. A linguagem é chata. As tramas são chatas. É tudo chato.
E me irrita profundamente "tanta mídia pra pouco conteúdo".
 
 

Hoje, por ontem

Eu ganhei um livro de poesias obcenas da Hilda. Não foi a Hilda quem me deu.
 
 
6/6/2002

Argumentar me cansa
Então vou só fechar os olhos, ficar triste e respirar.
Me distraio com o movimento do seus olhos dentro dos seus olhos.
As palavras me cansam.
Só fechar a boca e os olhos me alivia.
 
quarta-feira, junho 05, 2002
 

Quando

De-noitinha
vagarinho
o teto me olha;
chega perto;
sorri.
Só de
-noitinha
-vagarinho
quando ela só está
n´algum lugar.
 
 
Eu já disse que odeio reagge? Eu odeio régui.
 
terça-feira, junho 04, 2002
 
Alguém pode me explicar como foi que o despertador foi parar no "off" se eu não acordei? Eu dormi tão pesado que não acordei com o despertador. Sei que ele tocou porque outras pessoas ouviram. Agora, como ele foi parar debaixo da minha barriga e com a alavanquinha no "off" sinceramente eu não sei. Deve ser culpa do Olcadil. Santo Olcadil... GH fez uma cara brava pra mim ontem por causa dele...
Mas não dormir não é bom. Eu juro que não é. Eu prefiro ficar viciada (que exagero) num remédio a não dormir. A melhor coisa que me aconteceu fora o meu trabalho novo foi a maravilhosa noite de sono do Olcadil. E também ele é fraquinho. Ela é que exagera...
Pois é, eu tenho um trabalho novo. Vou trabalhar 10 horas por dia durante um mês. Ontem foi o primeiro dia e eu já morri. Morri de nervoso também, diga-se de passagem. Ficar nervosa um dia inteiro cansa, sabia?
 
 

Diga que perdi a cabeça

A música agarra:
Será sobrenatural?
Penso, e você longe
e você perto, e você nua
Penso, meu corpo responde:
Sobrenatural.

 
 
Será que olhos de escorpião perdoam?
 
A esse ponto tudo parece antigo. Eu mesma pareço tão distante. Eu mesma estranho meu perfume, minhas calças, meus pés. Eu mesma desmancho os navios e naufrago refazendo frases.

ARCHIVES
09/01/2001 - 10/01/2001 / 10/01/2001 - 11/01/2001 / 11/01/2001 - 12/01/2001 / 12/01/2001 - 01/01/2002 / 01/01/2002 - 02/01/2002 / 02/01/2002 - 03/01/2002 / 03/01/2002 - 04/01/2002 / 04/01/2002 - 05/01/2002 / 05/01/2002 - 06/01/2002 / 06/01/2002 - 07/01/2002 / 07/01/2002 - 08/01/2002 / 08/01/2002 - 09/01/2002 / 09/01/2002 - 10/01/2002 / 10/01/2002 - 11/01/2002 / 11/01/2002 - 12/01/2002 / 12/01/2002 - 01/01/2003 / 01/01/2003 - 02/01/2003 / 02/01/2003 - 03/01/2003 / 03/01/2003 - 04/01/2003 / 04/01/2003 - 05/01/2003 / 05/01/2003 - 06/01/2003 / 06/01/2003 - 07/01/2003 / 07/01/2003 - 08/01/2003 / 08/01/2003 - 09/01/2003 / 09/01/2003 - 10/01/2003 / 10/01/2003 - 11/01/2003 / 11/01/2003 - 12/01/2003 / 01/01/2004 - 02/01/2004 / 02/01/2004 - 03/01/2004 / 03/01/2004 - 04/01/2004 / 04/01/2004 - 05/01/2004 / 05/01/2004 - 06/01/2004 / 06/01/2004 - 07/01/2004 / 07/01/2004 - 08/01/2004 / 08/01/2004 - 09/01/2004 / 09/01/2004 - 10/01/2004 / 10/01/2004 - 11/01/2004 / 11/01/2004 - 12/01/2004 / 12/01/2004 - 01/01/2005 / 01/01/2005 - 02/01/2005 / 03/01/2005 - 04/01/2005 / 04/01/2005 - 05/01/2005 / 05/01/2005 - 06/01/2005 / 06/01/2005 - 07/01/2005 / 07/01/2005 - 08/01/2005 / 08/01/2005 - 09/01/2005 / 11/01/2005 - 12/01/2005 / 01/01/2006 - 02/01/2006 / 02/01/2006 - 03/01/2006 / 03/01/2006 - 04/01/2006 / 04/01/2006 - 05/01/2006 / 05/01/2006 - 06/01/2006 / 08/01/2006 - 09/01/2006 / 09/01/2006 - 10/01/2006 / 10/01/2006 - 11/01/2006 /


Powered by Blogger